24h para evitar que derrubem o Fundo para ciclovias!

Querem desfazer nossa vitória!

Ontem o projeto de lei do vereador Marcelo Sgarbossa (PT) que cria o Fundo Municipal de Apoio ao Plano Cicloviário foi aprovado na Câmara de Vereadores pois os vereadores da base aliada do governo saíram do plenário para conversar com o presidente da EPTC Vanderlei Cappellari na hora da votação. Mas agora alguns vereadores querem fazer uma “recontagem” dos votos, onde então seriam considerados os votos dos vereadores que “dormiram no ponto”.  Não podemos permitir isso, os vereadores têm que assumir seus erros e é inadmissível que eles saiam para conversar no momento onde se debate e vota um projeto de grande interesse da comunidade.

Precisamos pressionar os vereadores para que não permitam esse absurdo. Para isso criamos uma carta para ser enviada a todos eles por e-mail. Copie o endereço dos vereadores e o texto da carta e envie. Depois compartilhe com seus amigos e amigas, quanto mais pessoas enviando, melhor!

Sugestão de texto para e-mail:
Vereador não derrube o Fundo para ciclovias!

Nesta segunda-feira, foi aprovado por votação simbólica o projeto de lei do vereador Marcelo Sgarbossa (PT) que cria o Fundo Municipal de Apoio ao Plano Cicloviário. Nenhum dos presentes no plenário manifestou-se contra ou pediu votação nominal no momento adequado. Pedir verificação nominal dos votos para poder incluir os votos de vereadores que estavam ausentes na hora da votação é desonestidade. Se vocês tinham interesse em votar contra o PL que criou o Fundo, assumam seu erro em ter saído do plenário no momento da votação. A verificação nominal dos votos, num caso como esse, pode abrir um precedente perigoso, onde a qualquer momento um vereador poderá solicitá-la para incluir na votação seus aliados que se ausentaram do plenário.

Os portoalegrenses querem a criação do Fundo Municipal de Apoio ao Plano Cicloviário e a única alternativa ao projeto do vereador Sgarbossa é o projeto apresentado pelo governo, que é cheio de furos e remendos e sobre o qual nem mesmo a base aliada tem um entendimento.

Peço o seu comprometimento em honrar a votação da Câmara e manter a aprovação do PL que criou o Fundo.

Sinceramente,
E envie para os vereadores abaixo:
ferronato@camarapoa.rs.gov.br, albertokopittke@camarapoa.rs.gov.br, brasinha@camarapoa.rs.gov.br, anyortiz@camarapoa.rs.gov.br, bernardino@camarapoa.rs.gov.br, cassiotrogildo@camarapoa.rs.gov.br, claudiojanta@camarapoa.rs.gov.br, delegadocleiton@camarapoa.rs.gov.br,
 drthiagoduarte@camarapoa.rs.gov.br, comassetto@camarapoa.rs.gov.br,
 elizandrosabino@camarapoa.rs.gov.br,  vereadorafernanda@camarapoa.rs.gov.br, villela@camarapoa.rs.gov.br, idenircecchim@camarapoa.rs.gov.br, joaocnedel@camarapoa.rs.gov.br, joaoderly@camarapoa.rs.gov.br, jussaracony@camarapoa.rs.gov.br, kevinkrieger@camarapoa.rs.gov.br, lourdesvereadora@camarapoa.rs.gov.br, marcelosgarbossa@camarapoa.rs.gov.br, binsely@camarapoa.rs.gov.br, mariofraga@camarapoa.rs.gov.br, mariomanfro@camarapoa.rs.gov.br, mauropinheiro@camarapoa.rs.gov.br, monicaleal@camarapoa.rs.gov.br, nereudavila@camarapoa.rs.gov.br, paulinhomotorista@camarapoa.rs.gov.br, paulobrum@camarapoa.rs.gov.br, pedroruas@camarapoa.rs.gov.br, professorgarcia@camarapoa.rs.gov.br, pujol@camarapoa.rs.gov.br, seforamota@camarapoa.rs.gov.br, sofia@camarapoa.rs.gov.br, tarcisoflechanegra@camarapoa.rs.gov.br, valtern@camarapoa.rs.gov.br, waldircanal@camarapoa.rs.gov.br

2 comentários sobre “24h para evitar que derrubem o Fundo para ciclovias!

  1. Aqui vai mais um modelo de carta, como alternativa:

    ——-

    Prezado Vereador(a)

    Ontem tivemos a alegria de testemunhar uma celebração da cidadania na Câmara.

    O projeto de lei do vereador Marcelo Sgarbossa – aprovado pela chamada votação simbólica –
    não apenas evita a mutilação do Plano Cicloviário, como aperfeiçoa a lei de 2009:

    cria o Fundo Municipal de Apoio ao PDCI, o qual

    – resolve os problemas de gerenciamento de recursos,
    – democratiza o processo ao formar um Conselho digno do nome,
    – e mantém, obviamente, a fonte assegurada de recursos, e que nunca vai competir com áreas essenciais como saúde e educação:
    a receita advinda das multas de trânsito.

    Por motivos que nenhum cidadão conseguiu compreender até o momento, até porque o Governo não explicou,
    essa verba advinda das multas parece causar verdadeiro desespero ao gestor da EPTC e aos vereadores a ele chegados.

    Da mesma maneira, essa iniciativa – cuja motivação é no mínimo suspeita – causa aversão e constrangimento
    a diversos apoiadores destacados do Governo, incluindo aí o ilustre Valter Nagelstein, que já foi líder na Câmara.

    Deixei as galerias, ontem, acreditando que o assunto estaria finalmente encerrado.

    Mas não. Seguem tentativas de driblar o processo. Parece coisa daquele “guri dono da bola”,
    que não aceita perder nunca, de jeito nenhum. Nem quando a “derrota” – como é o caso –
    consiste numa vitória para a cidade e numa saída honrosa para o Governo.

    O pedido de verificação nominal dos votos, num caso como esse,
    pode abrir um precedente perigoso, pois a qualquer momento
    um vereador poderá solicitá-la, para tumultuar uma sessão
    ou para incluir na votação seus aliados que se ausentaram do plenário.

    Quem tinha interesse em votar contra o PL que criou o Fundo,
    deveria ter permanecido no Plenário, com atenção e respeito. Aliás essa é uma grande lição
    desse episódio, caro vereador(a)! A cidadania exige mais seriedade no trabaho legislativo!

    Os portoalegrenses querem a criação do Fundo Municipal de Apoio ao Plano Cicloviário
    e a única alternativa ao projeto do vereador Sgarbossa é o projeto apresentado pelo governo,
    que é cheio de furos e remendos e sobre o qual nem mesmo a base aliada tem um entendimento.

    Peço o seu comprometimento em honrar a votação da Câmara e manter a aprovação do PL que criou o Fundo.

    Esta já não é mais uma questão de Governo e Oposição. É uma questão de honra/cidadania versus desonra/retrocesso.

    com esperança

    artur elias carneiro

    —–

  2. Eu acrescentei isso no meu texto:

    “Lembro ainda que Porto Alegre está muito atrasada em comparação com outras capitais brasileiras. A cidade terá apenas 50km de ciclovias até o final do ano, enquanto a cidade do Rio de Janeiro já possui hoje 320km, e Curitiba, 120km. E apesar de Porto Alegre já contar com 20km, somente o sistema Edvaldo Pereira Paiva + Ipiranga + Beira-Rio está inteiramente conectado, somando meros 8km de ciclovia utilizável sem expor o ciclista aos riscos do trânsito.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *