Ata Reunião Ordinária 08/08/2016

Associados presentes: 09

1. Dia do Pedestre: Sugeriu-se fazer uma postagem lembrando que esse dia que justamente cai em 8 de Agosto. Além da lembrança, a postagem conta com algumas linhas e divulgação do “Dá Pra Atravessar?”. Postagem composta e lançada no Facebook durante a reunião.

2. Fluxo de Decisões: Em processo de realização de enquete para marcar uma reunião geral em algum final de semana para que membros dos distintos GTs se reunirem e informarem o andamento das atividades.

3. Apoio Eleitoral de Membros: Levantou-se a questão se haveria problema que membros da associação manifestassem apoio político, como fazendo postagens abrindo voto em redes sociais, por exemplo. Comentou-se que não é problema, desde que não seja algo feito usando o nome da Mobicidade. Dado o envolvimento com o projeto Bicicleta nas Eleições, há restrições, de acordo com os termos da UCB. Coloca-se abaixo o ponto do edital do projeto que trata da questão:

“DAS CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO […] B. Para concorrer a este Edital, todos os membros e/ou associados da instituição concorrente que exerçam cargos ou funções executivas na mesma e que estiverem concorrendo ou na iminência de concorrer a cargos eletivos aos poderes legislativo e executivo, bem como participando ou na iminência de participar de comitês de campanha de candidatos aos poderes legislativo e executivo, deverão estar devidamente desincompatibilizados (licenciados e/ou afastados) de qualquer atividade junto à instituição.”

4. GT Eleições: A pesquisa lançada pela associação vai até dia 14/08. Pensa-se em já fazer cruzamento de dados e posteriormente divulgar alguns em forma de gráficos. Chamou-se a atenção para a relevância na questão de gênero, sendo que a maioria das respostas vieram de mulheres. Também agregou a outro dado, de que o uso do Bike Poa é feito em maior parte por mulheres. Quanto aos partidos, há ainda de se entregar o material para comitês. Pensou-se em organizar entregas entre quem se disponibilizar ou usar a verba disponível para enviar por correio ou bike courier. PSTU, PT, PSOL, PPS e PSL responderam os contatos por email. Outros pontos discutidos foi o de buscar promover a pesquisa entre não-ciclistas também e de organizar um agendamento das postagens sobre os resultados do projeto.

5. Calendário Anual de Atividades: Sugestão de colocar no site da Mobicidade um calendário com eventos relacionados à bicicleta de que tivermos conhecimento.

6. Ocupação Pandorga: Em andamento processo de financiamento coletivo via Catarse para conserto de telhado do prédio da ocupação. Lembrou-se que oficina comunitária já foi implementada no local cedido dentro da ocupação. Foi sugerido que façamos um vídeo de apoio à campanha, ficando de se decidir um dia apropriado para tanto.

7. Calendário Setembro: Sendo o mês da mobilidade, pensa-se em promover atividades, ainda considerando eventos e datas importantes já existentes:

– 07/09: Desafio da Independência/Audax
– 11/09: 2ª Edição do Vamo Dale no Velódromo
– 19 à 23/09: Semana da Mobilidade e Desafio Intermodal
– 22/09: Dia Mundial Sem Carro

Surgiram ideias sobre promovermos debates, ou mesmo um “mini-fórum”, tratando de assuntos, dentre os quais: 1) ciclomobilidade; 2) dados sobre atropelamentos e colisões e proporção das situações envolvendo bicicleta das demais; 3) promoção de curso de “comunicação não-violenta” para situações cotidianas de trânsito, podendo-se chamar um grupo que tem falado sobre isso; 4) cicloturismo; 5) Bike Polo; 6) Bike Anjo; 7) Iniciativas de Diálogo com Motoristas. Também pensou-se na possibilidade de convidar os candidatos à prefeitura de Porto Alegre para a realização de uma pedalada e de chamar a EPTC para participar de alguns debates.

8. EPTC: Sugeriu-se formas de diálogo com a EPTC e aproximação em atividades, como no caso da sugestão de convite para eventos em Setembro.

9. Contagem de Ciclistas: Segue a possibilidade de membros da associação acompanharem as contagens. Conforme a EPTC, também há possibilidade de ampliar-se os horários das contagens, desde que membros da associação fiquem responsáveis pela contagem e pelo equipamento nesses períodos.

10. Datas e Postagens: Tem relação com a ideia do calendário anual. Sugeriu-se uma filtragem de datas e mapeamento de eventos para serem postados pela Mobicidade.

11: Questão da Água em Porto Alegre: Sugeriu-se que a Mobicidade emita uma nota se posicionando acerca do problema atual em relação à água em Porto Alegre.

Porto Alegre, as Bicicletas e as Pessoas

O que leva as pessoas a utilizarem a bicicleta? Uma pesquisa realizada em 2015 seguindo proporções estatísticas da população de Porto Alegre buscou descobrir esses motivos. Dentre os entrevistados que utilizam a bicicleta mais de duas vezes na semana, 37,1% deles passaram a utilizar a bicicleta para locomoção por ser a opção “mais prática e rápida”. Quando perguntado a motivação a continuar pedalando os números são ainda maiores, 45,1% seguem pedalando pelo mesmo motivo. Há vários anos consecutivos a bicicleta segue chegando em primeiro lugar no Desafio Intermodal realizado em várias cidades do país, inclusive Porto Alegre. Enquanto 2 mil pessoas de carro ocupam uma área equivalente a sete estádios de futebol e a mesma quantidade em ônibus ocupam 55% de um estádio, 2 mil pessoas de bicicleta ocupam apenas 15% da área do estádio, por isso as ciclovias muitas vezes parecem “vazias” na visão de quem está de carro.

Porto Alegre é referência por ter sido a primeira capital  do país a desenvolver um plano cicloviário, sendo que a equipe responsável afirmou que se tratava de uma das cidades mais cicláveis do Brasil. Porém os 495km de ciclovias previstas no Plano Diretor Cicloviário Integrado (PDCI) pouco avançaram desde seu lançamento em 2009. Atualmente a cidade possui apenas 41km de ciclovias (pouco mais de 8% do previsto em sete anos de plano), sendo que algumas delas não seguem o projeto proposto no PDCI. Segundo a EPTC, um dos principais problemas no avanço desses números envolve contrapartidas imobiliárias, em que as construtoras são responsáveis por determinados trechos associado ao Habite-se dos imóveis, ficando as datas inconsistentes e os prazos definidos pela própria construtora. Ainda assim, quando foi conseguida a aprovação dos 20% dos recursos das multas a serem aplicados na construção de ciclovias, a própria Prefeitura lutou até conseguir a derrubada da emenda em 2014.

A luta pela bicicleta na cidade teve um marco trágico no dia 25 de fevereiro de 2011, quando o bancário Ricardo Neis acelerou criminosamente seu automóvel contra 150 ciclistas que participavam da Massa Crítica, ferindo 17 pessoas. Cinco anos depois o atropelador segue em liberdade aguardando julgamento. Cinco anos depois e a situação de quem escolhe a bicicleta como meio de transporte em Porto Alegre avançou pouco. O potencial de “uma das cidades mais cicláveis do Brasil” segue desperdiçado.

Enquanto a infraestrutura cicloviária da cidade avançou 48 metros por mês nos últimos 7 anos, diariamente se escancaram os erros de projeto e implementação, deixando dúvidas se a mesma é feita pensando nas bicicletas ou nos automóveis. Diversos estudos internacionais sobre mobilidade urbana e análise de países referência como Holanda e Dinamarca mostram que a criação de uma infraestrutura funcional e segura para bicicletas é um dos maiores impulsionadores para mais pessoas pedalarem. Ciclovias geram demanda, planejá-las para atender demanda é um mito que infelizmente muitos ainda acreditam.

Quando analisamos também a visão de quem anda a pé, fica mais uma vez claro que o foco do planejamento em Porto Alegre não é a mobilidade das pessoas. Quando se trata de atropelamentos, o pedestre é a agente penalizado. Chega-se ao cúmulo de espalhar grades ao redor das vias a fim de obrigar as pessoas a atravessarem em faixas fora do caminho natural, aglomerarem-se em canteiros e cruzar vias em tempos de sinaleira mínimos, tudo a fim de não prejudicar o carro. Projetos de redução de velocidade (como o Zona 30), semáforos de 30 segundos para pedestres, corredores exclusivos para transporte público, restrição de veículos no Centro, legislação de parklets sobre vagas de veículos e criação de lombofaixas são projetos que ficam apenas no papel ou são implementados de forma deficiente e ineficaz. Enquanto as maiores cidades do mundo como Nova Iorque e Londres restringem e taxam cada vez mais o uso do automóvel, vemos a cada dia vias mais largas, velocidades mais altas, viadutos cortando a cidade e os pedestres sendo tirados do caminho do progresso motorizado, embora a Política Nacional de Mobilidade Urbana deixe claro nas suas diretrizes a “prioridade dos modos de transporte não motorizados sobre os motorizados e dos serviços de transporte público coletivo sobre o transporte individual motorizado”. Está Porto Alegre na contramão do resto do mundo?

A Mobicidade acredita em Porto Alegre e no seu potencial. Acreditamos em uma cidade mais humana, em uma cidade para as pessoas. Lutamos e continuaremos lutando por esses ideais. Oferecemos ao poder público e aos candidatos os resultados de nosso trabalho esperando compartilhar essa visão e as necessidades de nossa cidade. Que possamos conseguir o título de cidade pela vida.


Essa carta foi enviada aos diretórios políticos de Porto Alegre dentro do “kit candidato”. Conheça mais do projeto Bicicleta nas Eleições clicando AQUI.

#BicicletaNasEleições #MobicidadeNasEleições #Eleições2016

Ata Reunião Ordinária 25/07/2016

Associados presentes: 05
1. A União de Ciclistas do Brasil (UCB) possui uma dupla de conselheiros para cada região do país. Um dos responsáveis pela região Sul havia informado que não estava tendo tempo para a função, e após algumas discussões, foi votado o nome da associada T.F. para assumir como conselheira, compartilhando a gestão com outros representantes.
2. Foi sugerido criar no site uma página em complemento a agenda com um calendário anual de atividades, com eventos como Expobici, Fórum Nordestino da Bike, etc. Sugerido como base o calendário do site da Ciclocidade.
3. A Ciclocidade/SP organiza um curso de formação em ciclomobilidade. Foi sugerido o contato com eles e verificar a possibilidade de participação de um membro da Mobicidade para replicar os conhecimentos aqui em POA.
4. Foi debatido com os presentes a criação do questionário para a consulta pública do GT Eleições. O questionário foi criado e será compartilhado com os demais associados pela lista de e-mail a fim de verificar oportunidades de melhoria.

Bibliografia Básica e o “Kit do Candidato”

Saíram para entrega nos diretórios o material preparado pela Mobicidade. Cada “kit” é composto pela carta “Porto Alegre, as Pessoas e as Bicicletas”, que faz um resumo sobre as situações de mobilidade na cidade, o livreto “Guia Incluindo a Bicicletas nos Planos”, elaborado pela União de Ciclistas do Brasil (UCB) e a bibliografia básica, composta por uma carta de apresentação e um pendrive contendo os seguintes materiais:

  • Política Nacional de Mobilidade Urbana;
  • Plano Diretor Cicloviário Integrado (PDCI) de Porto Alegre;
  • Cartilha “Caderno de Referência para Elaboração de Plano de Mobilidade Urbana”, elaborado pelo Ministério das Cidades;
  • Relatório “Pesquisa Nacional de Perfil dos Ciclistas”, elaborado pela ONG Transporte Ativo;
  • Guia “Incluindo a Bicicleta nos Planos”, elaborado pela União dos Ciclistas do Brasil (UCB);
  • Manual “Bicicleta e Comércio”, elaborado pela Associação dos Ciclistas Urbanos de São Paulo (CICLOCIDADE);
  • Análise “11 Ideias para Ciclovias Mais Seguras”, elaborado pela Mobicidade;
  • Consulta Pública 2012 “O Uso e o Estímulo da Bicicleta como Meio de Transporte em Porto Alegre”, elaborado pela Mobicidade;
  • Estudo “Perfil da Mobilidade, do Transporte e do Trânsito nos Municípios Brasileiros 2003”, elaborado pela ANTP;
  • Estudo “Dinâmica do Atropelamento”;
  • Estudo “Risco de Atropelamento”.

Esperamos que os candidatos façam bom uso desse material!

Quer saber mais sobre o projeto Bicicleta nas Eleições? Visite mobicidade.org/eleicoes

#BicicletaNasEleições #MobicidadeNasEleições #Eleições2016

photo872553397259184049

Pesquisa de Mobilidade

Como parte da campanha Bicicletas nas Eleições 2016, a Mobicidade lançou essa pesquisa de opinião com a população a fim de traçar o perfil da mobilidade em Porto Alegre e assim subsidiar o conteúdo das demandas junto aos candidatos das eleições municipais.

São necessários menos de 5 minutos para preencher, participe e compartilhe!

Acesse a pesquisa clicando AQUI.

‪#‎bicicletanaseleições‬ ‪#‎eleições2016‬

questionário

Mobicidade selecionada para o projeto “Bicicleta nas Eleições”, da UCB

FB_Capa2

A União de Ciclistas do Brasil (UCB) está promovendo o projeto “Bicicleta nas Eleições”, convidando entidades e grupos ciclísticos de todo o país a buscarem a inclusão de políticas de mobilidade urbana em bicicleta nas propostas e planos de governo dos candidatos ao pleito municipal. Vinte entidades do Brasil foram selecionadas para a realização ativa da campanha em seus municípios, e uma das classificadas foi a Mobicidade.
No ano de 2012 já havíamos realizado pesquisa entre a população e levado uma carta compromisso aos candidatos ao governo estadual. Agora para 2016 essa parceria com a UCB nos permite um projeto mais ousado, um estudo aprofundado da situação da cidade, elaboração de material a ser entregue nos diretórios de todos os partidos que tenham candidatos ao executivo e/ou legislativo e cartas compromisso aos candidatos à prefeitura. Em breve mais notícias e análises serão postadas aqui no site, onde será possível acompanhar o nosso trabalho. Nenhum partido e/ou candidato será excluído desse estudo, dado sua abordagem técnica e imparcial.
Quem quiser nos enviar dúvidas ou sugestões, escreva para contato@mobicidade.org.
Para conhecer um pouco mais sobre o projeto Bicicleta nas Eleições da UCB, visite o site: http://bicicletanaseleicoes.org.br/

Ocupação das Escolas no RS

Mesmo quem não acompanha constantemente as notícias já deve ter ouvido sobre as ocupações de escolas estaduais aqui no Rio Grande do Sul. Inspirados no movimento que vem ocorrendo em São Paulo, Goiás e Rio de Janeiro, os alunos tem ocupado escolas e colégios por todo o estado, apoiando a greve dos professores, exigindo melhorias na infraestrutura e qualidade do sistema educacional. Além disso, tem manifestado contrariedade a projetos de lei (PLs) que permitem que interesses privados predominem no ensino público, assim como a censura a educadores que confrontem o status quo. Segundo dados do grupo “Ocupa Tudo RS”, atualmente já são 146 escolas ocupadas, número que vem crescendo a cada dia.
Para quem já visitou alguma das ocupações, o cenário é impressionante. Alunos do ensino médio, e até mesmo do fundamental, organizando e gerenciando completamente o funcionamento da escola, apresentando pautas concretas, participando ativamente da vida escolar e trazendo diversas atividades e oficinas para dentro do currículo.
Repetindo as palavras ouvidas de uma aluna secundarista, estamos presenciando o trem da história acontecendo. Diversos associados já vem participando e/ou realizando atividades junto às escolas, porém a partir de hoje oficialmente a Mobicidade declara todo o seu apoio às ocupações e a luta dos alunos. Enquanto o artigo 6º de nossa constituição garante a educação como direito básico fundamental do cidadão, o sucateamento das escolas públicas e o desrespeito a dignidade do trabalho dos professores tem sido marcas de governos que atendem à outros interesses que não os da população.
A luta dos estudantes serve de lição a todos nós. Parabéns pela coragem e iniciativa de não aceitar essa realidade.
A Mobicidade estará envolvida em atividades nessas escolas, e convida todos que puderem ajudar. Os alunos tem precisado de alimentos e principalmente de pessoas interessadas em organizar atividades e/ou doar aulas.

 

Mapa das escolas ocupadas em Porto Alegre: https://goo.gl/WPE7Xy

 

Link para oferecer aulas e/ou atividades nas escolas: https://goo.gl/xIDP8o

 

Juntxs somos mais fortes!
#OcupaTudo

Vitória! Tirar “fina” de ciclista finalmente deverá multar

A Mobicidade vem há tempos participando do Grupo de Trabalho do DETRAN/RS chamado “Segurança dos Ciclistas”, que envolve representantes do governo, EPTC, outras entidades pró-bicicleta de Porto Alegre, entre outros.
Participar em grupos como esse é uma luta constante, pois os envolvidos representam diferentes interesses, cada uma com diferentes formas de pensar. Infelizmente ainda há muita relutância, preconceito e desconhecimento sobre o tema da mobilidade urbana em bicicleta, sendo sempre desafiador vencer essas barreiras. Agradecemos em especial aos técnicos e direção do DETRAN/RS, que tem apoiado a luta dos ciclistas e sempre defenderam que a bicicleta tem que ser respeitada e deve transitar na via sim.
Nas últimas reuniões foi atingido mais um objetivo de nossa luta: a aplicação de multas aos motoristas que ultrapassam bicicleta a menos de 1,5m de distância (a chamada “fina”), conduta proibida pelo artigo 201 Código de Trânsito Brasileiro. Embora o CTB já previsse a infração como grave a multa como penalidade, a EPTC até então alegava não haver diretriz oficial sobre como deveria ser feita a aplicação da multa, e nos poucos casos onde um agente verificava essa infração, o motorista era autuado de acordo com o artigo 175 do CTB (direção perigosa), falhando no caráter educativo da penalidade, pois não ficava claro ao motorista a razão real da infração.
A partir de agora, conforme regulamentação do CETRAN/RS, os agentes passarão a multar motoristas que desrespeitem a distância mínima de ultrapassagem. Resta agora aguardar que a EPTC cumpra sua parte punindo os infratores.
Muitos motoristas não entendem o sentido dessa distância mínima de ultrapassagem. Da mesma forma que um veículo ultrapassa outro trocando de pista, esse é o procedimento correto também ao ultrapassar uma bicicleta. Tirar “fina” corre o risco de desequilibrar o ciclista, podendo causar um acidente grave ou mesmo a morte do mesmo, e infelizmente não são poucos os casos de amigos que não voltaram pra casa por conta de uma ultrapassagem dessas. Lembre que os ciclistas tem família, tem uma vida. Talvez possam ser um familiar ou amigo seu.
Confira a notícia e a resolução no site do CETRAN: http://www.cetran.rs.gov.br/?model=conteudo&menu=81&id=1084

3ª Edição do Projeto Bicinema

No próximo domingo (22/05), às 19h, rola a 3ª edição do Projeto Bicinema, parceria da Mobicidade e Ocupação Pandorga.

O filme dessa edição será o documentário “Bikes vs Carros”, causador de bastante debate mundo afora, sendo que a maioria de nós não enxerga um caminho de disputa mas sim de compartilhamento. Porém o fato é que bicicletas e carros são máquinas, eles não tem vontade própria, eles dependem das decisões tomadas individualmente mas também das decisões tomadas politicamente. Este documentário mostra um pouco dos interesses que se tem por trás destas escolhas.

Após a sessão ocorre debate sobre o filme, quem puder também colaborar trazendo alimentos de origem não-animal para fazermos uma confraternização entre os presentes.

A Ocupação Pandorga fica na rua Professor Freitas e Castro, 191.

Acompanhe o evento no Facebook: https://www.facebook.com/events/118186641929635/

Participe com a gente!